Ricardo e Vivaldi

Quando Ricardo Miranda morava em São Paulo, fui à casa dele em Higienópolis. Convermos um pouco. Os outros começaram a chegar, haveria uma reunião. Com quorum satisfatório, decidimos iniciar, Ricardo botou um disco e começamos. Eu não conseguia prestar atenção, não me concentrava, não entendia o que os colegas diziam. De repente, a pergunta eclodiu: “Ricardo, que disco é esse?”. Eu tinha reconhecido o primeiro concerto das Quatro estações, mas nunca tinha ouvido Vivaldi tocado dessa forma. Graças a Ricardo, descobri Il Giardino Armonico. Pedi a Ricardo que tirasse o disco, o que ele fez, não haveria como conversar.